Conflictos imperiales, Geopolítica y fronteras: un proyecto portugués para las Guayanas en el período de las revoluciones

José Damião Rodrigues

Resumen

La invasión francesa de Portugal en 1807 supuso el traslado de la Corte portuguesa y de los tribunales centrales de la monarquía al Brasil. Después de la llegada de la Corte a Río de Janeiro en 1808, por iniciativa del príncipe regente D. João y de sus ministros y en respuesta a la coyuntura, se prestó especial atención a la cuestión de las fronteras externas, tanto en el norte como en el sur. En la cuenca amazónica, pese a los distintos tratados, continuaba latente el conflicto en torno a la demarcación entre los territorios portugueses y franceses. La instalación de la Corte en Río de Janeiro y la declaración de guerra a Napoleón permitieron concebir la ocupación de Cayena, que capituló el 12 de enero de 1809. Los asuntos fiscales y de justicia de la nueva conquista fueron confiados a João Severiano Maciel da Costa (1769-1833), que permaneció en el territorio entre 1809 y 1807. Este magistrado concibió un proyecto ambicioso para las Guayanas, al que tituló Refleçoens Sobre a união das trez GUIANAS, PORTUGUEZA, FRANCEZA, E HOLLANDEZA, para formarem hum Reino, anexo ao IMPERIO DO BRASIL. Este texto constituye el marco del presente artículo, que se inscribe en la historia de las relaciones entre Portugal y Francia y en la historia de las fronteras de América del Sur.


Palabras clave

América del Sur; Brasil; Guayanas; Amazonas; Imperios; Fronteras

Referencias

Alexandre, Valentim, Os Sentidos do Império. Questão Nacional e Questão Colonial na Crise do Antigo Regime Português, Porto, Edições Afrontamento, 1993.

Alexandre, Valentim, «As periferias e a implosão do império», em Francisco Bethencourt e Kirti Chaudhuri (dir.), História da Expansão Portuguesa, vol. IV: Do Brasil para África (1808-1930), Lisboa, Círculo de Leitores, 1998: 46-60.

Almeida, André Ferrand de, A formação do espaço brasileiro e o projecto do Novo Atlas da América Portuguesa (1713-1748), Lisboa, Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 2001.

Almeida, Carla Maria Carvalho de, «Uma nobreza da terra com projeto imperial: Maximiliano de Oliveira Leite e seus aparentados», em João Luís Ribeiro Fragoso, Carla Maria Carvalho de Almeida e Antonio Carlos Jucá de Sampaio (org.), Conquistadores e negociantes. História de elites no Antigo Regime nos trópicos. América lusa, séculos XVI a XVIII, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007: 121-193.

Amaral, Lia Arez Ferreira do, «Ravardière no Maranhão», em Congresso do Mundo Português. Publicações, Memórias e comunicações apresentadas ao Congresso Luso-Brasileiro de História (VII Congresso), Tomo 1º, I Secção, Lisboa, Secção de Congressos, 1940, vol. IX: 239-250.

Barra, Sérgio, Entre a Corte e a Cidade: O Rio de Janeiro no tempo do rei (1808-1821), Rio de Janeiro, José Olympio Editora, 2008.

Bayly, C. A., The Birth of the Modern World 1780-1914. Global Connections and Comparisons, Malden, Oxford, Blackwell Publishing, 2004.

Berredo, Bernardo Pereira de, Annaes Historicos do Estado do Maranhaõ, Em que se dá Noticia do seu Descobrimento, e tudo o mais que nelle tem succedido desde o anno em que foy descuberto até o de 1718, Lisboa, na Oficina de Francisco Luís Ameno, 1749.

Bertrand, Romain, «Rencontres impériales. L’histoire connectée et les relations euro-asiatiques», Revue d’histoire moderne et contemporaine, 54/4bis (2007):69-89. http://dx.doi.org/10.3917/rhmc.545.0069

Bonney, Richard, «The Eighteenth Century. II. The Struggle for Great Power Status and the End of the Old Fiscal Regime», em Richard Bonney (ed.), Economic Systems and State Finance: The Origins of the Modern State in Europe, 13th 18th Centuries, Oxford, European Science Foundation, Clarendon Press, 1995: 315-390.

Caetano, António Alves, «A Guerra Peninsular e a Economia Portuguesa», em A Economia Portuguesa no tempo de Napoleão. Constantes e Linhas de Força, Lisboa, Tribuna da História, 2008a: 11-47.

Caetano, António Alves, «O Comércio da Ásia e as Invasões Francesas (Encontros e desencontros com o Brasil: 1803-1821)», em A Economia Portuguesa no tempo de Napoleão. Constantes e Linhas de Força, Lisboa, Tribuna da História, 2008b: 51-87.

Cardoso, Ciro Flamarion, Economia e sociedade em áreas coloniais periféricas: Guiana Francesa e Pará (1750-1817), Rio de Janeiro, Graal, 1984.

Cardoso, José Luís, «1808: o ano zero da autonomia económica do Brasil», em Jorge Couto (dir.), Rio de Janeiro, Capital do Império Português (1808-1821), Parede, Tribuna da História, 2010: 117-125.

Chambouleyron, Rafael, «A Amazônia colonial e as ilhas atlânticas», Canoa do Tempo, Revista do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal do Amazonas, 2/1 (2008): 187-204.

Chambouleyron, Rafael, «As sesmarias e a ocupação do território na Amazonia colonial», em Suely Creusa Cordeiro de Almeida et al. (org.), Políticas e estratégias administrativas no mundo Atlântico. Recife, Editora Universitária UFPE, 2012: 357-371.

Collecção das Leis do Brazil, Rio de Janeiro, Imprensa Nacional, 1891.

Cortesão, Jaime, Alexandre de Gusmão e o Tratado de Madrid, Brasília/São Paulo, FUNAG/Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2006 [edição original: 1950 1963], Tomo I.

Costa, Graciete Guerra da, «A cartografia das Fortificações da Amazônia», Acervo, 29/1 (2016): 116-133. Disponível em http://revista.arquivonacional.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/664

Costa, João Severiano Maciel da, «Refleçoens Sobre a união das trez GUIANAS, PORTUGUEZA, FRANCEZA, E HOLLANDEZA, para formarem hum Reino, anexo ao IMPERIO DO BRASIL.», em O Investigador Portuguez em Inglaterra…, vol. 7, XXVI, Agosto 1813: 255-278. Disponível em https://books.google.com/

Costa, João Severiano Maciel da, Apologia que dirije à Nação Portugueza João Severiano Maciel da Costa, Do Conselho de Sua Magestade e seu Desembargador do Paço no Rio de Janeiro, a fim de se justificar das Imputaçõis que lhe fazem homens obscuros, as quais derão causa ao Decreto de 3 de Junho e à providencia comunicada no Aviso de 11 de julho do corrente ano de 1821, Coimbra, na Imprensa da Universidade, 1821. Disponível em https://archive.org/details/apologiaquedirij00cost

Couto, Jorge, «As tentativas portuguesas de colonização do Maranhão e o projecto da França equinocial», em Maria da Graça A. Mateus Ventura (coord.), A União Ibérica e o Mundo Atlântico: Segundas Jornadas de História Ibero-Americana, Portimão, 1996, Lisboa, Edições Colibri, 1997: 171-194.

Couto, Jorge, «Fronteiras do Brasil no Governo Joanino», em Jorge Couto (dir.), Rio de Janeiro, Capital do Império Português (1808-1821), Parede, Tribuna da História, 2010a: 169-193.

Couto, Jorge (dir.), Rio de Janeiro, Capital do Império Português (1808-1821), Parede, Tribuna da História, 2010b.

d’Abbeville, Claude, História da Missão dos Padres Capuchinhos na Ilha do Maranhão e terras circunvizinhas, São Paulo, Livraria Itatiaia/Editora da Universidade de São Paulo, 1975.

Daher, Andrea, O Brasil francês. As singularidades da França Equinocial 1612-1615, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2007 [edição original: 2002].

Domingues, Ângela, «Dom João, príncipe esclarecido e pai dos povos, e a fundação das colônias sueca de Sorocaba e suíça de Nova Friburgo», em Luís Valente de Oliveira e Rubens Ricupero (org.), A Abertura dos Portos, São Paulo, Editora Senac São Paulo, 2007: 120-147.

Domingues, Ângela, «A Amazónia entre dois impérios e entre duas áreas científicas», em Francisco Contente Domingues, José da Silva Horta e Paulo David Vicente (org.), D’Aquém, d’Além e d’Ultramar. Homenagem a António Dias Farinha, Lisboa, Centro de História da Universidade de Lisboa, 2015, vol. II: 1019-1030.

Epstein, James et al., «Entangled Empires in the Atlantic World», The American Historical Review, 112/3 (2007): 710-799.

Fatah-Black, Karwan Jalal, Suriname and the Atlantic World, 1650-1800, dissertação não publicada, Leiden, Leiden University Institute for History, Faculty of Humanities, Leiden University, 2013. Disponível em https://openaccess.leidenuniv.nl/handle/1887/21912

Fernandes, José Manuel, «Rio de Janeiro (1808-1821). Transformações urbanísticas como sede da Corte Portuguesa», em Jorge Couto (dir.), Rio de Janeiro, Capital do Império Português (1808-1821), Parede, Tribuna da História, 2010: 219-230.

Godechot, Jacques, France and the Atlantic Revolution of the Eighteenth Century, 1770-1799, New York-London, The Free Press-Collier-Macmillan Limited, 1965 [edição original: 1963].

González Bernaldo de Quirós, Pilar (dir.), Independencias iberoamericanas. Nuevos problemas y aproximaciones, Buenos Aires, Fondo de Cultura Económica, 2015.

Granger, Stéphane, «Geopolítica no Platô das Guianas: rivalidades e cooperação regional», Revista de Geopolítica, 7/1 (2016): 68-94.

Grunberg, Bernard, «Le Brésil et le commerce interlope français au début du XVIe siècle», em Katia de Queirós Mattoso, Idelette Muzart-Fonseca dos Santos e Denis Rolland (dir.), Le Brésil, l’Europe et les équilibres internationaux XVIe-XXe siècles, Paris, Presses de l’Université de Paris-Sorbonne/Centre d’études sur le Brésil, 1999: 47-59.

Hamnett, Brian R., The End of Iberian Rule on the American Continent, 1770-1830, Cambridge, Cambridge University Press, 2017.

Hébrard, Véronique e Verdo, Geneviève (eds.), Las Independencias Hispanoamericanas. Un objeto de historia, Madrid, Casa de Velázquez, 2013.

Holanda, Sérgio Buarque de, Raízes do Brasil, São Paulo, Companhia das Letras, 1995 [edição original: 1936].

«João Severiano Maciel da Costa. 6º Presidente da Câmara dos Deputados (Fase Imperial)», Boletim da Biblioteca da Câmara dos Deputados, 19/2 (1970): 211-231. Disponível em http://bd.camara.leg.br/bd/handle/bdcamara/12637#

Macedo, Jorge Borges de, Problemas de história da indústria portuguesa no século XVIII, Lisboa, Querco, 1982 [edição original: 1963].

Machado, Adelaide Vieira, O Investigador Portuguez em Inglaterra nos primeiros anos de publicação (1811-1813), dissertação de Mestrado em História Cultural e Política, Lisboa, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, 1996, policopiado.

Marley, David F., Historic Cities of the Americas: An Illustrated Encyclopedia, vol. 1: The Caribbean, Mexico, and Central America, Santa Barbara/Denver/Oxford, ABC-CLIO, 2005: 779-790.

Martinière, Guy, «1. Geopolítica do espaço português da América. O Estado do Maranhão», em Frédéric Mauro (coord.), Nova História da Expansão Portuguesa. Vol. VII: O Império Luso-Brasileiro 1620-1750, direcção de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques, Lisboa, Editorial Estampa, 1991: 103-142.

Martins, Ismênia e Motta, Márcia (org.), 1808 — A Corte no Brasil, Niterói, Editora da UFF, 2010.

«Memoria em que se responde ao que se publicou em o Nº. 26 do Investigador á cerca da uniaõ das tres Guianas Portugueza, Franceza, e Hollandeza», in O Investigador Portuguez em Inglaterra…, vol. 13, LI, n.º 3, Setembro 1815: 313-328. Disponível em https://books.google.com/

«Memorias para a Historia da Capitania do Maranhão», in Collecção de Noticias para a Historia e Geografia das Nações Ultramarinas, que vivem nos Dominios Portuguezes: ou lhes são visinhas, Lisboa, Academia Real das Ciências, Tomo I, Nº IIII, 1812: 1-118.

Miranda, Tiago C. P. dos Reis, «Ceder Timor – composição em fuga», Revista USP, 79 (2008): 82-93.

Morelli, Federica, «La redefinición de las relaciones imperiales: en torno a la relación reformas dieciochescas/independencia en América», Nuevo Mundo Mundos Nuevos 2008. http://dx.doi.org/10.4000/nuevomundo.32942

O Investigador Portuguez em Inglaterra, ou Jornal Literario, Politico, &c., Londres, vol. 2, V, Novembro 1811.

O Investigador Portuguez em Inglaterra, ou Jornal Literario, Politico, &c., Londres, vol. 7, XXVII, Setembro 1813: 435-443.

«Original Communication. … Supplementary.», The Literary Magazine, and American Register. For 1804., Philadelphia, 1804, vol. II: 321-327. Disponível em: https://catalog.hathitrust.org/Record/001717833

Paquette, Gabriel B., «Historiographical Reviews. The Dissolution of the Spanish Atlantic Monarchy», The Historical Journal, 52/1 (2009): 175-212. https://doi.org/10.1017/S0018246X0800736X

Paquette, Gabriel B., Imperial Portugal in the age of Atlantic revolutions: the Luso-Brazilian world, c. 1770-1850, Cambridge, Cambridge University Press, 2013.

Pedreira, Jorge Miguel Viana, Estrutura industrial e mercado colonial: Portugal e Brasil (1780 1830), Lisboa, Difel, 1994.

Pedreira, Jorge e Costa, Fernando Dores, D. João VI, Lisboa, Círculo de Leitores, 2006.

Picq, Manuela, «Rethinking IR from the Amazon», Revista Brasileira de Política Internacional, 59/2 (2016): e003. http://dx.doi.org/10.1590/0034-7329201600203

Prado, Fabricio, «The Fringes of Empires: Recent Scholarship on Colonial Frontiers and Borderlands in Latin America», History Compass, 10/4 (2012): 318-333.

Rebok, Sandra, Humboldt and Jefferson: A Transatlantic Friendship of the Enlightenment, Charlottesville, University of Virginia Press, 2014.

Reis, Arthur Cezar Ferreira, A Expansão Portuguêsa na Amazônia nos Séculos XVII e XVIII, Rio de Janeiro, SPVEA, 1959.

Reitano, Emir e Possamai, César (coord.), Hombres, poder y conflicto: Estudios sobre la frontera colonial sudamericana y su crisis, La Plata, Universidad Nacional de La Plata/ Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, 2015. Disponível em http://www.memoria.fahce.unlp.edu.ar/libros/pm.382/pm.382.pdf

Rio-Branco, Barão do, Obras do Barão do Rio-Branco. Vol. III: Questões de Limites — Guiana Francesa, Rio de Janeiro, Ministério das Relações Exteriores/Imprensa Nacional, 1945.

Rodrigues, José Damião e Madeira, Artur Boavida, «Rivalidades imperiais e emigração: os açorianos no Maranhão e no Pará nos séculos XVII e XVIII», Anais de História de Além-Mar, IV (2003): 247-263.

Sanjad, Nelson Rodrigues, Nos Jardins de São José: uma história do Jardim Botânico do Grão Pará, 1796-1873, Dissertação apresentada ao Instituto de Geociências como parte dos requisitos para obtenção do título de Mestre em Geociências, Área de Educação Aplicada às Geociências, Campinas, São Paulo, 2001, policopiado.

Silva, Andrée Mansuy-Diniz, «Imperial re-organization, 1750-1808», em Leslie Bethell (ed.), Colonial Brazil, Cambridge, Cambridge University Press, 1987: 244-283.

Silva, Iuri Azevedo Lapa e, A ordem desejada e a desordem promovida: acordos, motins e mestiços na ocupação da Guiana Franceza (1809-1817), Dissertação inédita de Mestrado em História, Rio de Janeiro, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2010, policopiada.

Silva, Joaquim Caetano da, L’Oyapoc et l’Amazone: question brésilienne et française, Paris, Imprimerie de L. Martinet, 1861, 2 vols.

Silva, Maria Beatriz Nizza da, «A Cultura», in Maria Beatriz Nizza da Silva (coord.), Nova História da Expansão Portuguesa. Vol. VII: O Império Luso¬-Brasileiro (1750¬-1822), direcção de Joel Serrão e A. H. de Oliveira Marques, Lisboa, Editorial Estampa, 1986: 443-498.

Silva, Maria Beatriz Nizza da, ««Embelecer e enobrecer» a sede da Corte», in Ismênia Martins e Márcia Motta (org.), 1808 — A Corte no Brasil, Niterói, Editora da UFF, 2010: 245-267.

Silveira, Simão Estaço da, Relação Svmaria das Covsas do Maranhão Escrita pello Capitão Symão Estacio da Sylueira Dirigida aos pobres deste Reyno de Portugal, Lisboa, Imprensa Nacional, 1911 [edição original: 1624].

Shōsuke, Murai et al., «Les espaces frontières», Annales. Histoire, Sciences Sociales, 58/5 (2003): 979-1053.

Truchuelo, Susana e Reitano, Emir (eds.), Las fronteras en el Mundo Atlántico (siglos XVI-XIX), La Plata, Universidad Nacional de La Plata, Facultad de Humanidades y Ciencias de la Educación, 2017. Disponível em https://libros.fahce.unlp.edu.ar/index.php/libros/catalog/book/85

Vargues, Isabel Nobre, «O processo de formação do primeiro movimento liberal: a Revolução de 1820», em José Mattoso (dir.) Luís Reis Torgal e João Lourenço Roque (coords.), História de Portugal, vol. V: O Liberalismo (1807-1890), Lisboa, Círculo de Leitores, 1993: 45-63.

Veloso, José Maria de Queiroz, «O Brasil durante os 60 anos da administração filipina», em Congresso do Mundo Português. Publicações, Memórias e comunicações apresentadas ao Congresso Luso-Brasileiro de História (VII Congresso), Tomo 1º, I Secção, Lisboa, Secção de Congressos, 1940, vol. IX: 153-169.

Wilcken, Patrick, «’A Colony of a Colony’. The Portuguese Royal Court in Brazil», Common Knowledge, 11/2 (2005): 249-263. https://doi.org/10.1215/0961754X-11-2-249




DOI: https://doi.org/10.14198/RHM2018.36.10





Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.